Produtores rurais participam de palestra sobre cana-de-açúcar

Produtores rurais de diversas regiões de Alagoas participaram, nesta segunda-feira (14), em Maceió, da palestra sobre o plantio da cana-de-açúcar em baixa densidade, durante evento promovido em uma parceria entre a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) e a Federação da Agricultura. A abertura foi feita pelo secretário Álvaro Vasconcelos e pelo presidente da Faeal, Álvaro Almeida.

Jorge Mangoline Neves, do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia Biotenol de Campinas, foi o palestrante convidado para ministrar a palestra sobre ‘A mecanização de cana-de-açúcar: do plantio à colheita”.

Entre os temas discorridos, Mangoline destacou a necessidade da mecanização do plantio à colheita de cana, principalmente em áreas acidentadas em regiões do Estado, redução da compactação de solo, espaçamento da cana, destruição de soqueiras, entre outros.

“O grande desafio na região Nordeste é justamente desenvolver máquinas modernas que sejam utilizadas em áreas acidentadas, em ladeiras, como é muito comum em Alagoas”, afirma o especialista do Núcleo de Maquinas do Laboratório Nacional.

De acordo com o secretário Álvaro Vasconcelos, a palestra é de grande importância para os produtores alagoanos, porque vai fazer com que sejam diminuídos os custos de produção e renovação da lavoura.

“Além de orientar os produtores, a palestra serve ainda para apontar melhoria na qualidade das sementes, aumento na produtividade com baixo custo e investir em tecnologia tanto no plantio como na colheita”, reconhece o secretário.

O presidente da Federação da Agricultura, Álvaro Almeida, considera que a palestra foi bastante produtiva e que trouxe temas relevantes para os produtores rurais, sobre o plantio e produção da cana em Alagoas.

O produtor Edilson Maia, que também fez palestra sobre a evolução do plantio e de máquinas em Alagoas, reconhece que o encontro serviu para orientação aos produtores e conhecer novas tecnologias de produção.

De acordo com Hibernon Cavalcante, superintendente da Seagri, existe uma necessidade cada vez mais de investimento de mecanização desde o plantio até a colheita, além de ter máquinas, também ter sementes de qualidade, tratadas química e termicamente.

Ao final do encontro, o Jorge Mangoline assegurou aos participantes que o Laboratório Nacional também vai desenvolver uma máquina para a colheita de palma forrageira para o Estado de Alagoas.

Ascom – 14/08/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *