Ex-médico Farah Jorge Farah andava vestido de mulher antes de morrer, dizem vizinhos

Vizinhos do ex-médico Farah Jorge Farah, que foi encontrado morto nesta sexta-feira (22) em sua casa, na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, dizem que, nos últimos meses, ele havia adotado um comportamento “estranho” e roupas de mulher.

Condenado a 14 anos e oito meses de cadeia por matar e esquartejar uma paciente em 2003, ele deveria ser levado de volta à prisão após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinar, na quinta, a imediata execução provisória de sua pena. Ele, porém, cometeu suicídio quando os policiais chegaram para prendê-lo.

Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, Farah havia colocado silocone nos seios e nas nádegas. “O legista disse que ele se injetou silicone nos seios e na bunda, isso foi recentemente, mas não sei quando”, disse.

Quatro vizinhos ouvidos pelo G1 relatam que Farah usava regatas e sutiãs femininos para sair às ruas e jogava seu lixo em sacolas plásticas em lixeiras de casas próximas.

A professora de inglês Sônia Cristina é a vizinha à direita da casa dele e conversava sempre com o ex-médico. Ela disse que o vizinho usava roupas de mulheres, blusas regatas e sutiã com enchimento. “Ele parecia estar se aplicando silicone”, disse Sônia, que sempre conversava com Farah.

Sobre a morte do ex-médico, disse: “É muito ruim, um fato muito mal. Sou muito emotiva, vou ter que rezar muito porque fica uma energia ruim”, disse.

Já o advogado Luiz Gatorre, que mora em um prédio na diagonal da casa, diz que o único contato próximo que teve com Farah foi há dois meses, quando o ex-médico “fez uma gentileza” e lhe ajudou a descer do ônibus. “Eu estava descendo do ônibus e porque tenho diabetes, tenho que me segurar bem. Ele me deu a mão e agradeci”, disse o advogado.

“Eu sempre passava por ele na rua e virava o rosto, fazia de conta que estava procurando algo do outro lado da rua, para não ter que cumprimentá-lo. Ele andava estranho, usava regata de mulher, com seios, roupa de mulher”, diz o vizinho.

Encontro do corpo

Um chaveiro foi chamado para abrir a porta da casa do ex-médico quando a ordem de prisão chegou para o delegado Nico. Ao entrarem, os policiais encontraram Farah deitado na cama, com um corte profundo na perna. Uma equipe médica tentou socorrê-lo, mas ele já havia morrido.

O delegado acredita que Farah usou um bisturi para se matar. Segundo o policial, ele criou um “ritual” para morrer. “Ele colocou uma música sinistra, uma música de terror, coisa estranha, fúnebre. Ele se vestiu com roupas de mulheres, colocou seio, colocou essas coisas, e atentou contra a própria vida. ” O corpo do ex-médico foi levado ao Instituto Médico-Legal central.

Na madrugada desta sexta, Farah foi visto entrando em sua casa com uma sacola com pães em uma das mãos e uma bengala na outra.

Parentes de Farah estiveram na casa dele recolhendo pertences após a morte. Um chaveiro foi chamado para colocar novas fechaduras nos portões e na porta.

23/09/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *