As consequências do vídeo viral da traição de Fabíola

 

Vídeo viral de traição de funcionária se tornou tema de reunião na sede do Santander, em São Paulo (Foto: Reprodução)

Vídeo viral de traição de funcionária se tornou tema de reunião na sede do Santander, em São Paulo (Foto: Reprodução)

Um vídeo viral se tornou assunto de reuniões na sede do Santander no Brasil, na Avenida Juscelino Kubitschek, no Itaim, na tarde desta terça (15). Por causa dele, a gerente de uma agência de um bairro nobre de Belo Horizonte, identificada como “Fabíola”, ficou reclusa em casa. Seus colegas receberam também trotes e telefonemas de curiosos. O episódio abalou a rotina de trabalho de todos naquela unidade.

As imagens que rodaram a internet mostram o flagra da bancária mineira que supostamente era infiel ao marido com um amigo da família em um motel em Contagem, na Grande BH. A discussão e as agressões foram filmadas e narradas por um outro conhecido do homem traído. Ele mostra a mulher e o amante acuados pelo cônjuge enfurecido. O episódio teria ocorrido na segunda (14).

Na terça (15), a mulher, identificada como Fabíola, ganhou uma série de perfis falsos no Facebook, com piadas, memes e até ameaças de haters (pessoas que fazem declarações de ódio na internet). “Ela é uma vítima, foi exposta publicamente ao ridículo e poderia processar o ex-marido e também o homem que a filmou por danos morais”, diz o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. Ele representou a atriz Carolina Dieckmann no caso do vazamento dos fotos nuas da atriz em 2013.

Procurada pela reportagem, Fabíola, o marido e o suposto amante não foram encontrados. Segundo a assessoria de imprensa do Santander, o banco vai dar todo o apoio para a funcionária. A empresa não confirma – até mesmo para preservar a privacidade de Fabíola -, mas comenta-se que ela poderá ser transferida de agência e receber assistência psicológica.

Abaixo, o vídeo que se tornou viral:

VEJA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *